quarta-feira, 8 de maio de 2013

Convocatória . 17ª caminhada da Época 2012 / 2013 . Percurso Pedestre da Corredoura PR7 . Dia 15 de Maio


Convocam-se todos os Caminhadeiros para a 17ª caminhada da época.
Desta vez, os organizadores escolheram o ‘Parque Natural das Serras de Aires e Candeeiros’ (nesta época do ano a oferecer a quem o visita uma paisagem deslumbrante), para  realizarmos mais um evento Caminhadeiro.
A hora da concentração será às 09: 00 horas (aconselhamos saír de Lisboa às 07:30 horas) no seguinte local:
Campo da Bola – Minas da Bezerra - Serro Ventoso – Porto de Mós       
Indicação GPS: N 39º 33' 14” -  W 8º 50' 38”.

Para lá chegar, deverão seguir uma das seguintes opções à vossa escolha.
Clicar em:
Opção 1
Como de costume, deverão confirmar as vossas participações através dos comentários desta mensagem, até ao final do dia do próximo Domingo dia 12.

Saudações Caminhadeiras em passada primaveril,

Fortunato de Sousa

30 comentários:

mreis disse...

Primeiros!!!

Vit.Gonçalves disse...

Segundos !!! (2)

Gil A F Furtado disse...

Terceiros (1) !!!

Luis Fernandes disse...

Quartos !!! (2)

Gil A F Furtado disse...

Serro Ventoso ou Cerro Ventoso? (Parte 1ª)

«Lá vem outra vez o enfadonho. Se andava calado há tanto tempo, que vem agora cá fazer?»
Não vos levo a mal se por acaso tiveram este pensamento, mas acontece que sendo a minha Língua a minha Pátria – ou a minha Pátria a minha Língua – se não a defendo não me cultivo e se não a cultivo não me defendo. E quando aprendo gosto de partilhar.
Serro Ventoso ou Cerro Ventoso?
Estranhei serro. Vou por cerro, mas há que consultar dicionários, pois muitas vezes surpreendem-nos.
Em primeiro lugar, talvez por ser o de que menos gosto - também tenho direito aos meus preconceitos, não? -, o da Academia das Ciências, vulgo "Malaca Casteleiro".

cerro [séRu], (Sorrio trocista da pronúncia lisboeta atribuída à palavra, mas adiante…) s. m. (Do lat. Cirrus ‘tufo de cabelo’). 1. Geog. Elevação de terreno que forma um outeiro, uma colina; um pequeno monte penhascoso. Do cimo do cerro via-se a planura em redor. «Barbaças precisava agora de estar num cerro solitário para descobrir perguntas e respostas sobre muitos mistérios de que até aí não dera conta» (F. NAMORA, O Trigo e o Joio, p. 162) «D. Ruy colheu bruscamente as rédeas e, erguido sobre os estribos, atirou os olhos espantados por todo o sinistro ermo. Só avistou o cerro áspero, a água rebrilhante e muda, os madeiros, os mortos.» EÇA, Contos, p. 451). (Volto a sorrir, mas agora agradado das citações. Dispensava a primeira, sem indicação de autor por ser uma "bucha" - usemos este termo do jargão teatral - metida à força por quem redigiu o verbete; reconheço bem a segunda, de “O Trigo e o Joio” que antes da idade adulta li mais de 11 vezes; julgo por momentos que a terceira pertence ao conto “O Tesouro”, onde, por ganância, «os três irmãos de Medranhos, Rui, Guanes e Rostabal», se matam uns aos outros, mas subitamente ocorre-me que este Rui é o enamorado da jovem esposa do velho conde de Lara, do estranho conto “O Defunto”, e só não me envaideço da minha memória porque foi há bem pouco tempo que acabei mais uma releitura do Eça.). 2. O dorso dos animais. 3. Pop. As costas; o lombo. 4. Region. (Tr.-os-M.). Carne do lombo do porco.

Este mesmo dicionário não regista o vocábulo serro, falha que não me surpreende.

Gil A F Furtado disse...

Serro Ventoso ou Cerro Ventoso? (Parte 2ª)

Depois o Houaiss, sempre exaustivo – ou a tentar sê-lo:

cerro /ê/ s. m. (1496 cf. IVMP) 1. pequena elevação; colina, outeiro. 2. elevação pedregosa e íngreme 3. p.ext. infrm. Costas, dorso 4. p.ext. P carne do lombo de suíno junto ao couro. ® GRAM dimin. irreg.: cerrito, cerrote ® ETIM lat. cirrus,i ‘anel ou caracol de cabelos, cabelos atados no alto da cabeça, monta de crinas na testa ou nas pernas dos cavalos’ ® SIN/VAR ver sinonímia de colina ® HOM cerro (fl. cerrar) e serro /ê/ (s.m.) ® PAR serro (fl. serrar).

serro /ê/ adj.s.m. (1881 cf. Sarv) relativo aos serros, povo de perto do Cáucaso, ou indivíduo desse povo. ® ETIM do lat serri,orum ‘id’; a datação é para o subst. ® HOM serro (fl. serrar), cerro /ê/ (s.m.) e Cerro /ê/ (top.) ® PAR cerro (fl cerrar)

(1. Esclareça-se que “IVMP” é o Índice do Vocabulário do Português Medieval, de Antônio Geraldo da Cunha, ed. Fundação Casa de Rui Barbosa, 3 vols., Rio de Janeiro 1986-1994 e que “Sarv” refere-se a Francisco Rodrigues dos Santos Saraiva, Novissimo Diccionário Latino-Portuguez, etimológico, prosódico, histórico, geográfico, mitológico, biográfico, etc. 1ª ed. Havre, 1881 […] 9ª ed. Rio de Janeiro, 1927. 2. Intrigado com a palavra “monta”, procuro-a nos três dicionários e em nenhum deles há uma acepção que justifique a sua utilização aqui. Presumo, pois, que se trate de gralha tipográfica, mas de que palavra? Manta? Mancha? Monha? E, subitamente, no Machado, os olhos caem-me em “monho”: topete de cabelo postiço, pequeno chinó de senhoras || Rolo de cabelo natural […] Pronto! Achei! E corro a corrigir o Houaiss, mas, à cautela e por respeito, termino a emenda com um ponto de interrogação.)

Já seguro da minha razão – Cerro e não Serro –, avanço para o meu querido José Pedro Machado.

Cerro (ê), s. m. (do lat. cirru-). Colina, outeiro. || Pequeno monte penhascoso. || Carne do lombo do porco, pegada ao couro. || O dorso, em linguagem zootécnica. || As costas, o lombo.

Ainda mais confiante, vou à procura de “serro”.

Serro (ê), s. m. Espinhaço; aresta de monte. || Obs. ortográf. No sentido de outeiro, colina pequena e penhascosa, a grafia é cerro (ê).

Bolas!. O meu muito querido mestre estragou tudo! Se a palavra se refere a todo um cabeço, será cerro e eu tenho toda a razão, mas se designa apenas a sua crista, será serro e eu não tenho razão nenhuma! Assim sendo, só a tradição oral dos de lá naturais ou lá residentes, ou um dicionário corográfico – que não tenho – podem esclarecer a dúvida. Mas intimamente fico agarrado à esperança que a nossa próxima caminhada seja no Cerro Ventoso.

Volto então ao blogue e consulto a “Opção 1”. Para minha grande surpresa, deparo com um belo organograma que me delicia. E surpreendo-me: como é que, sendo quase todos nós informáticos, só agora o percurso aparece esquematizado desta maneira? . E sinto-me um pouco frustrado e invejoso: como é que eu nunca tive esta ideia?
E pergunto: quem foi a pessoa que a teve, para eu ter o prazer de a felicitar?

Vou, de seguida, à opção 2, preparado para outra surpresa. E não é que a tenho mesmo?!
Aumento o mapa do Google Earth na zona onde iremos caminhar e surge-me o nome Serro Ventoso. Serro e não Cerro! «É a tradição a contrariar-me» - pensei. Aumento mais um pouco e, logo ao lado, vejo “Junta de Freguesia de Cerro Ventoso”! É a desorganização inerente aos seres humanos a troçar de mim!

São emoções a mais para uma noite. Desisto.

Encontrar-nos-emos na caminhada e já tanto se me dá que seja no Serro como no Cerro. Bom seria que não fosse ventoso.

Saudações caminhadeiras do

Gil Furtado

Gilberto Santos disse...

Quintos (1) - em repetição, após reconhecimento do percurso e maravilhado com o que me foi dado contemplar.

Carlos disse...

Não sei se é serro ou cerro mas antes que cerrem as inscrições contem comigo.
Saudações caminhadeiras com ar galego.
CPenedo

LM disse...

E aqui vão mais 4: Lurdes e Angelina, Zé Clara e eu, LM.
Quanto ao Cerro ou Serro aqui vai mais uma acha para esta fogueira: o 'Guia de Portugal' de 1927 publicado pela Biblioteca Nacional de Lisboa menciona várias vezes 'Cerro' e não 'Serro'.
Um abraço.
LM

António Dores Alves disse...

Mais inclinado para o cerro, mas maravilhado com a dúvida colocada pelo genial Gil, só peço que me inscrevam com ou sem o dito.
Abraço

Fortunato de Sousa disse...

Caro Amigo Gil,

O 'flow chart' da opção 1, é da autoria de outro Gil, mas não Furtado, porque furtar implica retirar ou diminuir. Mas se acrescentares berto ao Gil está o assunto encerrado.
De qualquer modo, lá na serra nos encontraremos, para serrar tudo o que por agora possa não ter ficado encerrado e contem comigo em Serro Ventoso para encerrar a conversa,
Fortunato de Sousa

Lucio e Fátima disse...

E ainda, do PRONTUÁRIO PRÁTICO DO PORTUGUÊS DA GALIZA do DR. CARLOS DURÃO :
- cerro (outeiro; de cerrar),
- serro (espinhaço; de serrar),
- Serro (toponimico.), Cerro (toponomico.)

Vamos então os dois...

movicente disse...

11ª inscrição

António Silva
Manuel Garcia
M.Odete Vicente

Rogerio disse...

ola
Também vou.
Até lá,fiquem bem
Roger

Maria do Céu disse...

Antes que acabem as inscrições, cá de casa vamos 2.
Bjs.
Céu.

virgili o vargas disse...

eu tb vou!

e sobre a dúvida colocada pelo Gil (sem berto) se esta caminhada fosse no norte, xeria no xerro bentojo.

E,muito probabelmente, o noxo amigo Gil (xem berto) estaria a dixertar xe xeria xerro ou cherro.

xaudaxões a todos os caminhadeiros

virgíli o vargas

movicente disse...

Contem com mais uma pessoa:
Júlia Costa

António Palma disse...

Com muita pena minha, não poderei estar presente mais uma vez,pois tenho exames médicos de rotina, exactamente na quarta-feira, para poder "andar pelos ares".
Mas para a próxima Caminhada, vou ser o primeiro a inscrever-me!!!
Saudações Caminhadeiras para todos e até dia 29 se não estou em erro!

Gil A F Furtado disse...

O rijo xaudábel é uma xanta mèjinha. Por ixo agradexo ao Bergílio Bargas a gostoja gargalhada que o xeu meile, aliás poxte, me probocou.

Ao Dores Alves agradeço o epíteto, mas peço-lhe que não exagere, não vá o pateta acreditar.

Ao Luís Martins (e Angelina) e ao Lúcio (e Fátima) agradeço as achegas.

À Maria do Céu felicito pela singeleza do poema (“Antes que acabem as inscrições, cá de casa vamos dois”), e ao Rogério igualmente felicito como poeta, bastando fazer uma pequena troca: “Olá. Vou também. Até lá, fiquem bem.”

À Odete agradeço o aporte ao grupo de tantas e tão simpáticas amigas.

A todos peço que vão mantendo alguma paciência para me aturarem quando me dá para isto, e, para acabar em verso, o Gil Roubado - pelo Fortunato assim apodado -, felicita o Gil Acrescentado pelo fluxograma bem esgalhado.

A alguns verei na terça, a todos que treparem ao Cerro Ventoso verei na quarta. E assim se despede o

Gil Furtado

João e Nela Costa disse...

Vão mais 2: Eu e a Nela.

Abraços,
João e Nela

Manuel Garcia disse...

Contem com a Estela.
Abraços
Manuel Garcia

VitGon disse...

Caros Caminhadeiros,

O Floxo e o J. Figueiredo também vão.

CEF disse...

O Gil Capelo Gaivota tomou a aragem do Miradouro da Sra. do Monte, e, tal Frei Bartolomeu de Gusmão voltou a voar não se ficando pela Praça do Comércio como o Frei, pois que já nos levou com a sua pena fluente e atenta até Porto de Mós. Onde andaste Gil? a tua pena faz falta, assim como o teu "olhar".
Na Corredoura nos vamos encontrar, mais s menos s.
Um Abraço
C. Evangelista

octavio disse...

Contem com os quatro do costume..., desta vez perto de casa.
A razão da inscrição ir tão atrasada foi porque fiquei esmagado com a euridição com que o nosso senador/especialista em linguística e não só, nos brindou, acerca de Cerro e Serro.
Como não podia deixar de ser, fui consultar mais algumas fontes que tinha à mão e as conclusões não foram muito diferentes das já apontadas pelo Gil. Apenas o Koogan's e o Larousse apontam Serro como uma pequena cidade do estado de Minas Gerais, no Brasil.
Aí, fiquei na dúvida. Será que os Caminhadeiros, cada vez mais reforçados, se abalançam a uma jornada no Brasil? Como acho que por enquanto, não, lá estaremos na quarta-feira, no C(S)erro Ventoso.

ANTONIO PIRES disse...

Eu e o Bernardino tambem vamos

Miguel Cardoso disse...



Por impedimento de última hora não poderei estar presente na próxima jornada.
Uma boa caminhada para todos os participantes.

Saudações Caminhadeiras
Miguel Cardoso

Vit.Gonçalves disse...

Teresa, João Duarte Ai...Ai... e Chico Pires também vão estar presentes.
Saudações Caminhadeiras.

manel disse...

O Gil propôs o instrumento de masturbação. Aceitemo-lo, pois. Noutros tempos, eu (e estou em crer que também o Gil) utilizaria o instrumento por natureza e por excelência eleito para esse fim. Mas estes são tempos (idades) diferentes, mais dados a exercícios do intelecto, de preferência pouco exigentes, do que a lúbricas manipulações físicas.

Quanto ao Cerro e ao Serro, consultados exaustivamente dois dicionários e uma enciclopédia de largo espectro durante uns largos quinze minutos, construí a minha versão. Deixo a decisão final à Junta de Freguesia do Cerro de qualquer coisa.

Ambas as (duas) palavras têm origem latina - serra e cerro. A primeira, de serrar, com protuberâncias denticulares, conduz, por semelhança visual, à palavra espinhaço (dentes, lembram-se?) e, por esta via, ao nosso Serro. A segunda, cerro, também por semelhança visual com, neste caso, lombo, está na génese do tal Cerro.

Certo ou errado (o mais provável), isto, e também o seu contrário (aqui, estou a brincar) faz todo o sentido para mim.

Em todo o caso, na dúvida, os "doers", isto é, os fazedores, os yupies e afins vão simplesmente à wikipédia - sábia decisão - e em dez segundos aprendem: "Cerro: morro ou colina (às vezes escrito serro)". Quem necessita de maior sapiência?

PS: Se alguém estiver interessado, posso divulgar as minhas fontes de informação

Gil A F Furtado disse...

A esta hora da noite, atendendo à madrugada que tenho prevista para daqui a pouco, limito-me a um rápido comentário: que belo o encerro com que o Manuel Pedro nos brinda.
Obrigado, Manel.
E até amanhã.

Gil Furtado

Gil A F Furtado disse...

E acrescento: um homem não é de pau: tem que se entreter com alguma coisa.
Por ter estado muito entretido é que só agora vou dormir.

Até logo.

Gil