sábado, 6 de fevereiro de 2016

* * * * * * * * 11ª Caminhada da Época 2015 / 2016 * * * * * * * * De Novo em Torres Vedras com Figuras e Figurões . Dia 3 de Fevereiro




Local: De Novo em T. Vedras com Figuras & Figurões (Na Rota de S. Vicente)
Percurso: 6 kms em 02: 30 horas
Participantes: (39) Acilina Couto; Ana Cristina; Angelina Martins; António Palma; Carlos Evangelista; Carlos Penedo; Carmen Firme; Cidália Marta; Dores Alves; Fortunato Sousa; Gilberto Santos; Graça Sena; João Costa; João Duarte; João Figueiredo; Júlia Costa; Kinita de Sousa; Lina Fernandes; Lúcio Libânio; Luís Fernandes; Luís Martins; Luísa Gonçalves; Lurdes Clara; Manuel Barbosa; Manuel Garcia; Manuel Pedro; Manuel Reis; Maria do Céu; Maria do Céu Fialho; Maria da Luz Fialho; Miguel Cardoso; Nela Costa; Octávio Firme; Odete Vicente; Pedro Albuquerque; Rogério Matias; Rosa Silva; Vitor Gonçalves; Zé da Clara;
Guia Pedestre: Luís Sérgio
Só ao Almoço: (4) Fátima Libânio; Gil Furtado; José Dionísio; Lourenço Furtado;
Organizador: Rogério Matias
Almoço: Restaurante O Voluntário (Tel.261 324 063)
Próxima Caminhada: 10/02/2016 (Organizam: Maria do Céu Fialho e Maria da Luz Fialho)
Reportagem:
Depois do miminho oferecido pela D. Leonor da pastelaria Flor e com espirito carnavalesco, iniciamos mais uma caminhada com passada de “Figuras e Figurões”e apesar de não haver   Columbinas, nem Arlequins nem Pierrots, houve outras fantasias  muito mais bonitas, populares e interessantes.
Mais uma vez tivemos o apoio do nosso amigo Luís Sérgio da ATV que nos levou a percorrer 8,7Km e por ser carnaval o grau de dificuldade foi baixo.
 Não haja dúvida, que São Pedro, esteve mais uma vez a nosso favor! Estava uma manhã fria mas de uma claridade deslumbrante, com um leve toque a Primavera.
Chegou a hora do repasto, no restaurante “O Voluntário” que apresentou um  bom serviço e o menú  agradou a todos.. Não estou habilitado a falar do vinho, mas gostei
Após o almoço, fomos agraciados com a companhia do nosso já conhecido  guia cultural Paulo Ferreira  que nos conduziu na Viagem ao Interior do Carnaval de  Torres Vedras( o mais português de Portugal) e aos locais onde se desenrolam  os bailes carnavalescos ,
Terminamos o dia de “folia” com o tradicional chá. Procedeu-se à escolha do melhor “Figurão” tendo sido  atribuído o 1º lugar à “Consolete”. Parabéns Carlos e a todos os outros “figurões”
Regressamos depois  aos nossos destinos felizes e contentes
Os meus agradecimentos pela disponibilidade e colaboração à:
·  CMTV na pessoa da Drª Ana Umbelino
·  Promotorres na pessoa de  César Costa
· Grupo Carnavalesco as “Lumbias” na pessoa Ricardo Silva
· Confraria Real do Carnaval, sem  os quais não seria possível a visita cultural.

BEM HAJAM
Rogério Matias
Estaremos de volta a 17 de Fevereiro
Vive o melhor de ti

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

* * * Convocatória - 11ª Caminhada da Época 2015 / 2016 * * * De novo em Torres Vedras com Figuras & Figurões - Dia 3 de Fevereiro





Convocam-se os Caminhadeiros para a tradicional 

Caminhada de Carnaval em Torres Vedras.

Desta vez será da seguinte maneira:

Distância: a definir pelas caminhadeiras
Grau de dificuldade: todos



Programa:
  • 9h25 Concentração na Expotorres (mesmo local do ano passado)
  • 10h Início da caminhada
  • 13h10 Almoço no Restaurante “O Voluntário” (frente ao Tribunal)
  • 15h30 Viagem ao interior do Carnaval conduzida pelo Eng. Ramalho da CMTV e pela Promotorres responsáveis pela organização
  • 17h10 Chá no restaurante o “Voluntário”


Notas
  1. Aconselha-se o uso de dois bastões
  2. Aconselha-se o uso de calções / saias
  3. Aconselha-se o uso de repelente porque vamos passar por zona de pecuárias
  4. Aconselha-se protector solar porque vai estar sol
  5. ????????
Os interessados em participar no evento Caminhadeiro Carnavalesco, devem formalizar as inscrições através dos comentários a esta mensagem, até ao final do dia do próximo Domingo.

SAUDAÇÕES CAMINHADEIRAS EM PASSADA TRAPALHONA,

ROGÉRIO MATIAS

domingo, 24 de janeiro de 2016

* * * * * * * 10ª Caminhada da Época 2015 / 2016 * * * * * * * _Por Campos do Oeste - Torres Vedras -Dia 20 de Janeiro_




Albuns de Fotos:
Acilina Couto
Luis Martins
Gil Furtado
Dores Alves
Maria da Luz
Carlos Evangelista
Data da caminhada: 20/01/ 2016
Local: Torres Vedras
Percurso: Inserido na ROTA DO VENTO (PR5TVD) cerca de 8 kms, das 10.00às 12.30
Organizadoras: Ana Cristina, Clara Maia, Júlia Costa

Caminhadeiros: (44) Acilina Couto, Amílcar Queirós, Ana Cristina, Ana Leão, Angelina Martins, António Dores Alves, António Palma, Carlos Evangelista, Carlos Penedo, Carmen Firme, Celestino Narciso, Cidália Marta, Clara Maia, Estela Garcia, Fortunato de Sousa, Gilberto Santos, Graça Sena, João Duarte, Júlia Costa, Kinita de Sousa, Lina Fernandes, Lúcio Libânio, Luís Fernandes, Luís Martins, Luísa Clemente, Luísa Gonçalves, Lurdes Clara, Manuel Barbosa, Manuel Floxo, Manuel Reis, Manuel Garcia, Margarida Graça, Maria do Céu Esteves, Maria da Luz, Miguel Cardoso, Octávio Firme, Odete Vicente, Pedro Albuquerque, Rogério Matias, Vítor Gonçalves e  Zé Clara.
Só ao almoço: Gil Furtado
Almoço: Restaurante " EL MANADAS"
Próxima caminhada: 03/02/2016 (organiza Rogério)
Reportagem:
Às 10.00, numa manhã de Sol radioso, após as formalidades de receção e a usual fotografia de grupo tendo como paisagem de fundo um belíssimo poço devidamente recuperado, os Caminhadeiros despediram-se do Largo Poço Ribeiro, na Freiria, para dar início ao percurso inserido na ROTA DO VENTO, onde, durante duas horas e meia, com subidas, descidas, muita lama e poços de água, tivémos a oportunidade de desfrutar das mais belas paisagens da região, repleta de vegetação predominante de eucaliptos e alguns pinheiros mansos, vestígios de uma reflorestação recente, de velhos moinhos de vento recuperados ou em ruínas e os novos eólicos.

O Marco Geodésico, ponto mais alto do percurso ( 194m de altitude) inserido na SERRA DO ROMEIRÃO, foi o local selecionado para o retempero merecido, tendo o Vítor aproveitado para dar a informação sobre uma possível viagem aos Açores ( Ilha de S. Miguel).

Os mais curiosos tiveram a oportunidade de, desta altitude, avistar quase toda a Costa do Oeste.
Regressados à Freiria, ao Largo que nos viu partir, após botas lavadas e um visual mais convidativo para rumarmos à cidade que nos ia receber - TORRES VEDRAS -, rainha do Carnaval mais trapalhão de Portugal - e à feijoada que por nós esperava na cozinha do restaurante " EL MANADAS", um dos mais antigos da cidade.
Aqui, formados os respetivos grupos comensais, sentados nas mesas que o Marcelo teve o cuidado de ajustar criteriosamente para nosso conforto, tendo inclusivamente colocado um aquecedor e uma mesa de apoio que, além das sobremesas, uma delas, o doce da casa, a nós dedicado, nos permitiu colocar o BOLO, cozinhado no " PÃOZINHO DA AVENIDA", uma das mais conceituadas pastelaria da cidade, e as garrafas de champanhe que os avós babados, Vítor e Luisa, nos presentearam em honra ao seu neto BENJAMIM.
Tivemos, também, ao almoço, a agradável companhia do Gil, que, desta vez, optou por deixar a bicicleta em casa e não nos acompanhou na caminhada.
Depois de comidos e bebidos, uns com agrado outros nem tanto, a animação não parou e até houve tempo para sessão fotográfica aos que não abdicaram dos trajes carnavalescos.
Contas feitas, físico alimentado e após um especial agradecimento ao Marcelo feito pelo Fortunato em nome de todos, a pé pelas ruas do Centro Histórico, com ligeira paragem no Monumento ao Carnaval, às 15.30, em ponto, estávamos no Convento de Nossa Senhora da Graça com disposição para alimentar o espírito, tendo a preciosa companhia da guia SOFIA que os Serviços do Museu Leonel Trindade nos disponibilizaram GRATUITAMENTE e que, de um modo profissional, e pacientemente nos conduziu por uma viagem histórica com início no CLAUSTRO deste Convento para observarmos o maior conjunto de azulejos historiados do SEC. XVIII que ilustram a vida de D. Frei Aleixo de Menezes, passando para a Exposição sobre as Linhas de Torres, paragem na Igreja da Nossa Senhora da Misericórdia, Paços do Concelho, com término no Parque do Choupal para apreciar o ATEILER DO BRINQUEDO.
Viagem oficial terminada, os mais curiosos tiveram ainda a oportunidade de visitar a CAPELA da NOSSA SENHORA do AMEAL recentemente restaurada e aberta ao público, enquanto outros aguardavam pelo lanche no CAFÉ XEIRINHO inserido no PARQUE DO CHOUPAL, infraestrutura de Lazer emblemática e recentemente também recuperada.
Durante o lanche, onde não estiveram o Amílcar, a Fátima e Lúcio, a animação continuou tendo-se procedido à atribuição do prémio (gift de Carnaval e um livre trânsito para as entradas nos 4 corsos) à máscara da Odete Vicente, considerada pelo Júri a mais criativa.
Houve tempo ainda para informações várias nomeadamente o convite que a Clara nos fez para o "ASSALTO CARNAVALESCO" da responsabilidade da CONFRARIA, a realizar no próximo dia 30 na "TUNA"com entrada gratuita.
Agradecimento muito especial para Sr.ª Vereadora da Cultura, Dr.ª Ana Umbelino, que proporcionou aos Caminhadeiros o evento cultural de forma gratuita; à equipa do museu Leonel Trindade com especial destaque para a Dr.ª Francisca que entendeu na íntegra o nosso objetivo; à guia SOFIA pelo seu desempenho profissional e paciente; e um agradecimento muito especial ao Celestino Narciso que teve a amabilidade de nos acompanhar nesta aventura.
Por mim outro também muito especial à Clara Maia e Ana Cristina que, ao contrário de mim, torriense desertora, sempre viveram em Torres Vedras e melhor do que ninguém estão integradas no seu MODUS VIVENDI.
Júlia Costa

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

* * * Convocatória - 10ª Caminhada da Época 2015 / 2016 * * * __Por Campos do Oeste - Torres Vedras - Dia 20 de Janeiro__

Caros Caminhadeiros,
Com a cidade de Torres Vedras em momentos de produção carnavalesca, aqui fica o convite para mais um percurso pedestre na nossa região, uma visita ao seu centro histórico e a infraestruturas recentemente inauguradas.
Iniciaremos o dia com uma caminhada por terras que nos irão permitir avistar a partir do marco geodésico, quase toda a costa e apreciar as mais belas paisagens rurais desta região, incluindo os seus velhos moinhos de vento recuperados ou em ruínas bem como os novos eólicos.
Programa:
09:30 Concentração na FREIRIA. Largo de Poço Ribeiro, junto à Pastelaria “Cantinho dos Sabores”.
Coordenadas: 39º 01' 20,9" N
                        9º  19'  14,2  W
10:00 – Início da caminhada (cerca de 10 kms, grau médio com uso de bastão).
PR5 TVD ROTA DO VENTO – percurso devidamente identificado na página da Câmara Municipal.
12:30 – Partida da FREIRIA (Largo de Poço Ribeiro) para TORRES VEDRAS.
O estacionamento é o mesmo de sempre (EXPOTORRES).
13:00 – Almoço no restaurante “El Manadas”, localizado no Centro Histórico da cidade.
15:30 – Visita Cultural – (focada em exposições temáticas e apresentadas por uma guia do Museu que nos acompanhará até à hora do lanche).
17.00 - Lanche (bem aconchegante!!!...) no "CAFÉ CHEIRINHO", inserido no Parque do CHOUPAL.
Final da caminhada com votos de um bom regresso aos vossos lares!...
Os interessados em aceitar o nosso convite a participar nesta 10ª caminhada da época, devem como de costume efectuar as  inscrições através dos comentários desta convocatória, até ao final do dia do próximo Domingo dia 17.
Saudações Caminhadeiras
Júlia Costa

P.S. Como acima foi referenciado, em Torres Vedras já se brinca ao Carnaval, pelo que vos desafiamos a escolherem a máscara apropriada. Os membros do júri, composto pelas organizadoras, atribuirão um VALIOSO prémio ao Caminhadeiro mais criativo.

sábado, 9 de janeiro de 2016

* * * * * * * *9ª Caminhada da Época 2015 / 2016 * * * * * * * * __Herdade da Barrosinha . Alcácer do Sal . Dia 06 de Janeiro__




Álbuns de Fotografias
Acilina Couto
Acilina Couto (Video youtube)
Fortunato de Sousa
Luis Martins
Dores Alves
Luz Fialho
Data da caminhada: 06/01/2016
LocalHerdade da Barrosinha – Alcácer do Sal
Percurso: 9 kms em 02:45 horas
Organizador: Manuel Reis
Caminhadeiros (40): A. Dores Alves; Acilina Couto; Ana Cristina; Ana Leão; Angelina Martins; António Clemente; António Palma; Carlos Evangelista; Carlos Penedo; Carmen Firme; Céu Fialho; Cidália Marta; Clara Maia; Estela Garcia; Fortunato de Sousa; Gilberto Santos; Graça Sena; João Duarte; Júlia Costa; Kinita de Sousa; Lina Fernandes; Luís Fernandes; Luís Martins; Luísa Clemente; Luísa Gonçalves; Lurdes Clara; Luz Fialho; Manuel Floxo; Manuel Garcia; Manuel Pedro; Manuel Reis; Margarida Graça; Maria do Céu Esteves; Octávio Firme; Odete Vicente; Pedro Albuquerque; Teresa Palma; Virgílio Vargas; Vítor Gonçalves; Zé Clara.
Só ao almoço (5): Carmo, Álvaro e José Teixeira mais Irene e Rui Afonso
Almoço: Restaurante do Hotel Rural da Barrosinha
Próxima Caminhada: 20/01/2016 (Organiza: Ana Cristina, Clara Maia, Júlia Costa)
Reportagem:
A foto de grupo ainda foi tirada a seco e o organizador até prometeu que não iria chover só que logo a seguir caiu uma ligeira bátega e lá se foi a promessa por água abaixo…
Mas se meteorologia é muito imprevisível, os caminhadeiros são muito mais previdentes. Às primeiras gotas de chuva abriram-se as coloridas capas e os guarda-chuvas próprios da época, com excepção para o organizador que acredita mais no boletim meteorológico do que no S. Pedro e foi logo ali apanhado, não de calças na mão mas sem capa nem guarda-chuva.
Contados os presentes, foram notadas as ausências do Rogério (engripado e afónico) e dos Afonso, devido a uma queda da Irene, felizmente sem graves consequências. As melhoras para ambos!
Sob o comando do Luís Fernandes e do Carlos Penedo, que deram uma ajuda inestimável na preparação da caminhada (obrigado, rapazes!), seguimos pelo assinalado percurso das capelas, com o piso em bom estado e no meio da paisagem típica do Alentejo por vezes acompanhados da curiosidade de vitelinhas, vitelas, vacas e bois que nos olhavam com ar de quem diz: olha, olha, hoje temos visitas (mas não vi nenhuma a sorrir, acho que isso só nos Açores). De vez em quando tínhamos que atravessar umas cercas, quase todas com uma cancela que era necessário abrir e deixar fechada. Se tudo correu bem o devemos ao tartaruga lenta, desta vez o António Palma, que se encarregou de as fechar todas. Obrigado Palma!
A pausa planeada para reagrupar e retemperar forças foi junto à capela de N. Sra. da Conceição, aberta de propósito para os caminhadeiros poderem apreciar a elegância simples de uma construção do século XVII.
O espaço à volta era aprazível, tinha sinais de lugar de peregrinações antigas, e quando os mais atrasados chegaram a cena era de picnic moderno com as frutas, as barritas e as águas a circular de mão em mão.
Mas eis que começa a chover novamente e toca de apressar os comes e bebes, entrar na capelinha, aproveitar os confortáveis bancos para descansar e até houve quem experimentasse o som cristalino de uma campainha que o Pedro Albuquerque descobriu.
Passada a chuva retomamos a caminhada de regresso e foi só ter cuidado ao passar perto de uma manada de gado (manso, muito manso) para esconder a parka vermelha da Estela que se estreava na sua qualidade de recém pré-reformada. Junto a uma represa tirámos umas fotos, passámos por umas guaritas sem porta (!) que soubemos mais tarde que eram silos de rações para gado (mas virados ao contrário) e chegamos ao local de partida e chegada. Mesmo a tempo de começar novamente a chover o que fez apressar a muda de roupa e o arrumo das mochilas e bastões.
A sala do repasto era mesmo ali e até estávamos um bocadinho adiantados em relação à hora prevista mas como entretanto chegaram os Afonso da Galé e o quase caminhadeiro Zé Teixeira mais a Carmo e o Álvaro vindos directamente de Tirana, na Albânia, foi um corrupio de abraços e beijinhos que só deu tempo para encher os copos com um monocasta moscatel graúdo para os brindes e começar a atacar as entradas de croquetes de alheira, ovos mexidos com farinheira, coelho assado em azeite e queijinhos meia cura. A seguir veio um bacalhau com espinafres e camarão, mais umas migas com carne de porco e um reforço dos vinhos com branco e tinto da produção da herdade. Para a sobremesa tivemos que nos levantar e escolher entre pudim caseiro, mousse de limão, barras de framboesa em calda de chocolate e fruta da época. Eu como tenho sempre muitas dúvidas, não escolhi, trouxe um pouco de tudo. Com o café lá estava o xiripiti da ordem desta vez acompanhado com uma garrafa do mesmo mas da colheita de 2009 da garrafeira particular do Rui Afonso.
O Fortunato parece que gostou e até pediu uma salva de palmas para as cozinheiras, mas é bom que os que não gostaram o digam nos comentários, se for caso disso.
Seguiu-se uma visita guiada pelo engº Almeida Martins, que ao mesmo tempo que nos mostrava os diversos edifícios do núcleo central da herdade, nos foi contando um pouco da sua história que começou em 1947 e chegou a empregar cerca de 1000 trabalhadores (agora são cerca de 40). Como não podia deixar de ser demorámos mais tempo na visita à adega e acabámos o programa com um belo chá de lúcia lima e limão feito num panelão e servido num espaço chamado Taberna, acompanhado de vários bolos caseiros e o tradicional bolo-rei do dia de Reis. Também fez sucesso a venda de garrafas de vinho ao balcão de tal maneira que aquele que eu queria comprar se tinha esgotado.
Mas para o final estava reservada ainda uma grande surpresa, que o foi também para o organizador. Concebido, ensaiado e executado pelo Trio do Norte (Rui Afonso na viola, voz e kazoo de Irene Afonso e lanternas do Carlos Penedo) fomos surpreendidos por um grupo de cantadores de janeiras que com versos originais dedicados aos caminhadeiros-mores foram a chave de ouro de mais uma caminhada deste grupo maravilhoso a que dá gosto pertencer.

Até Torres Vedras!
Manuel Reis
PS1 – agradecimentos à dra. Margarida Lança e ao engº Almeida Martins pela simpatia e amabilidade com que nos receberam.
PS 2 – letra das janeiras cantadas na Taberna pelo Trio do Norte
                                         
Ó que estrelas tão brilhantes
Chegamos vindos lá do norte
À família Caminhadeira
Deus lhe dê a melhor sorte.

Alegrai-vos companheiros
Que já sinto gente a andar
São os caminhadeiros mores
Que nos vêm cumprimentar.

Viva lá o senhor Balão
Mais a sua linda Quinita
Quando chegam à janela
A lua fica mais bonita.

Viva lá o senhor Fernandes
Dona Lina, boquinha de riso
Linda maçã camoesa
Foi criada no paraíso.

Viva lá o senhor Victor
Dona Luísa, faces de romã
Seus olhos são mais galantes
Do que a estrela da manhã.

Vivam lá todos os presentes
A todos não posso cantar
Só vou distinguir mais um
Por esta festa organizar.

Ai viva lá o senhor Reis
Ai raminho de salsa crua
Quando nos abre a porta
Põe-se o sol e nasce a lua.

Boa noite meus senhores
Ai agora vou terminar
Boas Festas e Bom Ano
A todos quero desejar.

Que vos traga tudo de bom
Caminhadas, almoços e calor
Muito carinho e amizade
E uma mão cheia de amor.

Agora vou-me despedir
Mas par’o ano vou cá voltar
Por favor dêem-me de beber
Tenho a garganta a secar.                                                                                                                                                                                                                                                       Alcácer do Sal, 06/01/2016                                                                                  

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

* * * * Convocatória - 9ª Caminhada da Época 2015 / 2016 * * * * __Herdade da Barrosinha - Alcácer do Sal - Dia 6 de Janeiro__

Estão os meus amigos Caminhadeiros convocados a participar na 9ª Caminhada da época 2015/2016, a realizar na Herdade da Barrosinha, a cerca de 3 kms de Alcácer do Sal tomando a nacional 5 na direcção do Torrão.
O programa para esse dia é o seguinte:
09h15 – Concentração no parque de estacionamento do Hotel Rural da Barrosinha, já com pequeno almoço e café tomado (não há sítio para tomar no local de partida).
Coordenadas GPS: N38.361864, W8.480546
09:25 – Foto de grupo e breves notas sobre o percurso
09:30 – Início da Caminhada
13:00 – Almoço no restaurante do Hotel Rural da Barrosinha
15:00 – Apresentação sobre a história e actividade da Herdade da Barrosinha seguida de visita às instalações da adega
17:00 – Chá das 5
O percurso terá uma distância de aproximadamente 10 Km, com índice de dificuldade médio/baixo, sendo aconselhável o uso de bastão.
Sugiro fortemente que, seguindo o link …, leiam o desdobrável fornecido pela Herdade com indicações sobre o percurso e outras recomendações. Nós faremos o chamado Percurso das Capelas que está identificado com uma sinalética própria de cor azul.
Os interessados em participar nesta 1ª caminhada de 2016, devem como de costume efectuar as respectivas inscrições através dos comentários desta convocatória, até ao final do dia do próximo Domingo dia 3.
Saudações Caminhadeiras
Manuel Reis

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

* * * * * * * * 8ª Caminhada da Época 2015 / 2016 * * * * * * * * _Lisboa, o Tejo, Arte Urbana e Natureza . Dia 16 de Dezembro_




Albuns de Fotografias
Acilina Couto 
Gabriela Bentes 
Luis Martins 
Dores Alves
Fortunato de Sousa
Data do Encontro: 16/12/2015
Local: Lisboa – Cais do Sodré – Pedrouços
Percurso: 12 kms em 02:45 horas
Organizadora: Gabriela Bentes
Caminhantes: (36) A. Dores Alves; Ana Cristina; Acilina; Angelina Martins; António Clemente; António Palma; Carmen Firme; Cidália Marta; Clara Maia; Fortunato de Sousa; Gabriela Bentes; Gil Furtado; Gilberto Santos; João Costa; João Duarte; Júlia Costa; Kinita de Sousa; Lina Fernandes; Luís Fernandes; Luís Martins; Luísa Clemente; Luísa Gonçalves; Lurdes Clara; Manuel Garcia; Manuel Pedro; Manuel Reis; Manuela Borges; Maria do Céu Esteves; Nela Costa; Octávio Firme; Odete Vicente; Pedro Albuquerque; Rogério Matias; Teresa Palma; Virgílio Vargas; Vítor Gonçalves; Zé da Clara.
Almoço: Restaurante “A Tasca do Gordo”
Próxima Caminhada: 06/01/2016 (Organiza: Manuel Reis)
Reportagem:
A cidade de Lisboa foi a escolhida para acabarmos o ano em beleza.
Fomos brindados com um dia Primaveril o que tornou a caminhada à beira Tejo num prazeroso passeio de 7,5 km do Cais do Sodré a Pedrouços.
Às 8h30 da manhã, sentadinha no meu “escritório improvisado” na Esplanada do café Sabores do Cais, fui vendo chegar e picando a lista com os nomes dos participantes, e foram muitos - 34 – Não, não me enganei , foram 34 os que se juntaram no local da partida. Foi com grande alegria que recebi a Manuela Borges, uma querida colega que não via há muitos anos e que se estreou no grupo. Já a caminho, eis que, qual D. Quixote montado no seu Rocinante, aparece o Gil Furtado pedalando a sua bicicleta.
Chegados a Alcântara descemos à passagem subterrânea sob a Av. da Índia para apreciar painéis de Arte Urbana. Mais uma surpresa … A Irene Piorro (e que bem que ela está!) vinha nesse preciso momento a atravessar o túnel. Tanto ela como nós ficámos encantados com este reencontro inesperado.
Já nas Docas, junto ao monumento ao amor “LOVE”, juntou-se ao grupo o Pedro Albuquerque. Sempre acompanhados pelo Tejo e chegados à lindíssima zona de Belém, lá seguimos os 36 até ao Restaurante A Tasca do Gordo onde se juntaram ao grupo mais alguns não caminhantes (José Luís Albuquerque, Greta e Guilherme da Fonseca, Isabel e António Henriques, Elsa Garcia, e o Virgílio Vargas) ao todo prefizemos 43 !!!
Já bem aconchegados com a “dobradinha, as espetadas e a Boa Disposição”, cantámos os parabéns à Lurdes Clara e ao Guilherme da Fonseca, não faltando o bolinho e o espumante que a nossa amiga levou para brindar.
Sempre a pé para desmoer o almoço, começámos a visita cultural: Dirigimo-nos ao Colégio do Bom Sucesso para visitar a Igreja, onde fomos amavelmente recebidos pela Sister Aedris. Que grande surpresa para mim e também para a Luisa Clemente, que somos antigas alunas, ver a Sister Aedris ainda no activo. Esta irmã andou comigo ao colo quando entrei para o colégio com 4 anos.
Após rezarmos uma Avé Maria com a irmã, saímos, e na própria rua do Colégio, mais uma obra de arte urbana a apreciar, O Fabuloso trabalho de Artur Bordalo (Bordalo II) – O Texugão. Seguimos para o Jardim Vasco da Gama desta vez para contemplarmos um Pavilhão Tailandês, oferecido pela princesa herdeira da Tailândia para comemorar os 500 anos de amizade entre os dois países.
De seguida visitámos o Jardim Colonial que ocupa uma área de 7 hectares e alberga cerca de 600 espécies, a sua maioria oriunda de regiões tropicais de Africa, Ásia, América e Austrália. Em redor do lago principal podemos por exemplo observar os magníficos espécimes de Cycas que se encontram actualmente ameaçadas de extinção nos seus habitats naturais.
Já a cair o dia fomos tomar o chá ao “Casual Lounge Caffe” onde, depois do Bolo Rei nos despedimos uns dos outros com Votos de Boas Festas e …. Até pró Ano na 9ª Caminhada no Dia de Reis com o organizador Manuel Reis.
Com as componentes culturais do dia também palmilhadas em animado percurso pedestre, por indicação do Luís Fernandes e da sua generosidade natalícia, podemos desta vez e sem exemplo adicionar mais  4,5 kms à contabilidade quilométrica de cada um dos participantes. Tudo somado deu os tais 12 kms urbanos, o que foi obra de monta para a Manuela Borges e para a Ana Cristina, as duas iniciadas nestas andanças caminhadeiras.
Mais uma vez Feliz Natal e um Grande Ano
O meu muito obrigada a todos

Gabriela Bentes

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

* * * * Convocatória - 8ª Caminhada da Época 2015 / 2016 * * * * _Lisboa, o Tejo, Arte Urbana e Natureza - Dia 16 de Dezembro_

Estão os meus amigos Caminhadeiros convocados a participar na 8ª Caminhada e última de 2015, a realizar mais uma vez à beira Tejo na única e maravilhosa cidade de Lisboa.
O programa para esse dia é o seguinte:
09h15 – Concentração no Cais do Sodré em frente ao Café - SABORES do CAIS - Rua da Cintura do Porto de Lisboa, Armazém A (Edifícios em tijolo entre a Estação Ferroviária e a Estação Fluvial do Cais do Sodré).
09h45 – Sessão de Boas Vindas
10h00 – Início da Caminhada de Cais do Sodré a Pedrouços
12h30 – Almoço – Tasca do Gordo - Rua dos Cordoeiros, 33
14h45 – Saída a pé em direcção ao Jardim Botânico Colonial no Largo dos Jerónimos.
Paragem junto ao edifício do CCB para apreciar uma Obra de Arte Urbana de Artur Bordalo (Bordalo II).
Continuando, faremos uma 2ª paragem no Jardim Vasco da Gama (em frente aos Pastéis de Belém), desta vez para vermos um Pavilhão muito interessante, oferta do governo Tailandês à cidade de Lisboa.
15h45 – Com estas duas breves paragens, é chegada a altura de atravessar o Largo dos Jerónimos para dar início à nossa Visita ao Lindíssimo Jardim Botânico Colonial.
17h00 - Chá
O percurso terá uma distância de aproximadamente 7,5 Km, com índice de dificuldade baixo.
Em Alcântara, pequeno desvio para descer à passagem subterrânea sob a Av. Da Índia. Aí, onde outrora foi um túnel sujo, poderá agora apreciar painéis de Arte Urbana que vão desde a representação da Ponte 25 Abril, Aqueduto das Águas Livres, Torre de Belém, etc., até evocações dos murais revolucionários do pós 25 de Abril.
Voltando a subir à superfície pela mesma entrada, retomamos o caminho em direcção a Pedrouços. Na Doca do Bom Sucesso (junto à Vela Latina) deveremos atravessar a linha do comboio/marginal, na passagem aérea para peões.
Sugestão: Para quem pretender deixar o carro em Pedrouços no local onde vamos almoçar:
1. Deixar a EN6 vulgarmente conhecida por Marginal (sentido Belém/Algés) na Bomba de gasolina da Galp logo a seguir ao CCB.
Essa é a Rua Fernão Mendes Pinto, facilmente verá do seu lado esquerdo a empresa VULCO-Pneus e Mecânica. Não deverá ter grande dificuldade em estacionar o carro nas imediações uma vez que a rua é grande, e não tem parquímetros !!!
Coordenadas Geográficas:
N 38º 69' 4982" - W 9º 21' 9844"
Se quiserem apanhar o Comboio, aqui fica uma ajudinha: Horário CP sentido Cascais – Lisboa (conte com +-12min a pé, são cerca de 850m até à estação de Comboios de Algés).
Algés - 08h52 - C. Sodré - 09h01
Algés - 08h59 - C. Sodré - 09h10
Algés - 09h04 - C. Sodré - 09h13
As inscrições devem como de costume ser efectuadas através dos comentários desta mensagem, até às 12:00 horas da próxima Segunda-Feira dia 14.
Boa Viagem
Saudações Caminhadeiras

Gabriela Bentes

sábado, 5 de dezembro de 2015

* * * * * * * * 7ª caminhada da Época 2015 / 2016 * * * * * * * * De Volta à Ecopista do Ramal Évora - Mora . Dia 2 de Dezembro





Álbuns de Fotografias:
Acilina Couto 
Lina Fernandes
Luis Fernandes
Luis Martins 
Lucio Libanio 
Dores Alves 
Maria da Luz 
Manuel Reis 
Gil Furtado
Carlos Evangelista
Data do Encontro: 02/12/2015
Local: Graça do Divor
Percurso: 10 kms em 02:30 horas
Organizadores: Kinita e Fortunato de Sousa
Caminhantes: (45)A. Dores Alves; Acilina; Amilcar Queiróz; António Clemente; António Palma; António Vaz; Carlos Evangelista; Carlos Penedo; Carmen Firme; Céu Fialho; Cidália Marta; Clara Ferreira; Clara Maia; Fátima Libânio; Fortunato de Sousa; Gabriela Bentes; Gil Furtado; Gilberto Santos; Graça Sena; João Duarte; João Figueiredo; José Marques; Júlia Costa; Kinita de Sousa; Lina Fernandes; Lúcio Libânio; Luís Fernandes; Luís Martins; Luísa Clemente; Luísa Gonçalves; Lurdes Clara; Luz Fialho; Manuel Garcia; Manuel Pedro; Manuel Reis; Margarida Graça; Maria do Céu Esteves; Miguel Cardoso; Octávio Firme; Odete Vicente; Pedro Albuquerque; Teresa Palma; Virgílio Vargas; Vítor Gonçalves; Zé da Clara.
Almoço: Restaurante Divor (Tel. - 266.967.165)
Próxima Caminhada: 16/12/2015 (Organiza: Gabriela Bentes)
Reportagem:
Amigas/os Caminhadeiras/os, o que venho aqui partilhar é essêncialmente isto:
Um excelente dia alentejano.
Uma planície linda, calma, com alguns contornos proeminentes do solo, lindas árvores, arbustos, flores e frutos secos, um céu lindo, as aves, os sons da natureza, misturando a palete completa de cores e suas nuances, pintadas pela “superior Mão que apelido de Divina”, mantem-nos calmos, retempera-nos e permite que continuemos a sonhar.
A companhia, mais ou menos barulhenta, com murmúrios de conversas, qual delas a mais interessante, mas de uma participação humana que “é de bradar aos céus” em agradecimento. Depois, o dizer mal ou bem do grau de dificuldade da caminhada, se é curta ou longa, se os restauros dos monumentos ou outros, estão ou não a seu gosto, se a/o guia tem a voz bem ou mal colocada.
Bem, temos de apressar, já lá vêm “as lebres” de regresso. Deixamos os espargos para tráz, não há tempo. Mas para alguns até houve tempo de encher um saquinho ou um bolsito de bolotas. Obrigada Miguel.
E quem quis e chegou a tempo disso, levou para casa umas limas óptimas. Obrigada Manel.
A “gula”( que será pecado), grande azáfama em diversos pratos. Aí também ficamos a saber muito uns dos outros e principalmente sobre os sabores que cada um aprecia mais ou menos.
_Quem quer mais chouriços? E hortelã alguém quer? Aqui ainda há galinha e pé de porco, mas farinheira temos de pedir. E tu queres orelha? De porco, claro.
_Há queijo e pedimos maçã, está aqui a navalhinha. Hoje o Vitor está longe, deixa, comemos o doce que é tão bom, tem marmelo cozido. Aí, há uma pessoa muito gulosa que se alambaza toda e vai ao bolo de anos da Detinha e come também a parte do marido.
Aqui há que criticar mesmo este comportamento, para ver se isto acaba de uma vez por todas. Gula, não!(onde me escondo?)
Cantámos os parabéns à Odete, e felicitámos a vóvó Graça pelo nascimento da Leonor às quais desejamos vida longa cheia de saúde e amor.
Passeámos pela cidade património mundial da humanidade, Évora. Tivemos cultura, caminhámos, cumprimos todos os horários, houve tempo para comprar lembranças, visitar amigos, comer , beber chá de cidreira, camomila e tilia na pastelaria 1º de Maio, aconselhada pela nossa amiga Mª. do Carmo, nossa conterrânea, que nos deu o gosto da sua companhia ao chá, tal como a Maria Reis, a nossa guia simpática. Vi o organizador (sr. meu marido) de papinho cheio, com alegria e sentido de dever cumprido. Mais uma boa caminhada, esta já está. Correu bem (isto somos nós a falar, não é para vos confundir).
Agora façam favor de dizer de sua justiça. Muito agradecidos estamos a todos os que participaram. À Angelina desejamos que tudo fique bem, para que possa estar presente na última caminhada deste ano, que promete. Não queremos voltar a sentir ausência da sua estimada companhia. Um beijo nosso.
Saudações Caminhadeiras em passada expectante,
Kinita de Sousa