sexta-feira, 29 de junho de 2012

18ª Caminhada - Época 2011 / 2012 - Lavre 27 de Junho




video
Época 2011 / 2012 (Cristina e F. de Sousa)
Luis Martins
Dores Alves
Carlos Evangelista
António Palma
Manuel Reis
Data do Encontro: 27/06/2012
Local: Lavre – Monte do Chico Pires
Percurso: 09, 500 kms - 02: 10 Horas
Caminhantes: (47) António Dionísio; António Palma; Antonieta Faria; António Henriques; António Pires; Armando Lourenço; Bina Sales; Carlos  Evangelista; Carlos Penedo; Carlos Sales; Estela Garcia; Fortunato Sousa; Gil Furtado; Gilberto Santos; Gonçalo Garcia; Guido Lopes; Graça Penedo; Graça Sena; Hugo Furtado; Irene Afonso; João Costa; João Martins; José Clara; José Dionísio; Lucrécia Cruz; Lina Fernandes; Luís Fernandes; Luís  Martins; Luís Penedo; Luísa Gonçalves; Manuel Garcia; Manuel Pedro; Maria do Céu; Margarida Graça; Mário Franco; Manuel Reis; Nela Costa; Odete Vicente; Pedro Albuquerque; Pedro Graça; Pedro Antunes; Rogério Matias; Rui Afonso; Sílvia Dionísio; Teresa Palma; Tina Evangelista; Vitor Gonçalves.
Só ao Almoço: (18) Ana Sofia Pires; Angelina Martins; António Bernardino; Chico Pires; Dores Alves; Gertrudes Evangelista; Flávio Pires; Hugo Pires; Isabel Henriques; João Duarte, João Evangelista; Lurdes Clara; Manuel Flôxo; Manuela Pires; Mikail; Quinita Sousa; Rafael (bébé) ;Vitor Neto.
Organizadores: Chico Pires; Fortunato de Sousa Manuel Flôxo; Luís Fernandes; Vitor Gonçalves.
Almoço: Monte do Chico Pires – ‘Tasca Dos Caminhadeiros’
Próxima Caminhada: 12 / 09 / 2012 – (Dores Alves e Pedro Albuquerque)
Reportagem:
Depois de terminada a 18ª caminhada da época 2011 / 2012 no monte do nosso amigo Chico Pires em Lavre, cumprimos nada mais nada menos que 94 caminhadas organizadas pelo grupo ‘Os Caminhadeiros’. No dia 28 de Maio de 2008, realizámos a 14ª caminhada da 1ª época, onde estiveram presentes no evento final 14 pessoas, ou seja, os 7 pioneiros mais outros 7 que durante o decorrer do ano aderiram ao grupo. Na passada Quarta-Feira reuniram-se no mesmo local, 65 pessoas (47 caminhantes  mais 18 só almoçantes), para encerrar a época de 2011 / 2012. Durante estes 5 anos percorremos mais de 1.000 quilómetros em percursos organizados pelo grupo ‘Os Caminhadeiros’ e convivemos em comum várias centenas de horas, partilhando ideias, conhecendo novas gentes, novos locais e acima de tudo vivemos momentos de tertúlia  em ambientes inesquecíveis. Enfim, tudo isto para dizer que 5 anos de actividade ‘Caminhadeira’ com um crescimento significativo de aderentes, começam a ser uma longa metragem e ao mesmo tempo um sentimento de orgulho colectivo. Pelo menos mais 5 anos de igual intensidade é o que todos ambicionamos e é isso que vai acontecer.
Quanto à caminhada de encerramento, foi realizada no mesmo local do ano passado, após fotografia de grupo no local de concentração. Por variadas razões, alguns dos habituais caminhadeiros preferiram dar o seu contributo na cozinha e a toda a logística relacionada com a preparação do almoço e restante programa do dia. Os que decidiram caminhar, lá tiveram que saborear as temperaturas habituais nesta época do ano em terras que José Saramago bem descreveu no seu romance ‘Levantados do Chão’.
O almoço desta vez confecionado por cozinheiro semi profissional, que constava de umas deliciosas entradas de sabor regional e Sopa de Beldroegas, Sopa de Cação e Ensopado de Borrego, esteve ou ultrapassou mesmo as expectativas criadas. Claro que a nossa amiga Maria do Céu poderá sempre argumentar, que não fôra a sua sopa vermelha a servir de aperitivo e a hidratar o pessoal, e nada do resto teria o mesmo resultado. Depois, as sobremesas oferecidas pelos participantes no evento mais parecia um concurso de doçaria regional. Se umas senhoras diziam, prova lá este que está tão bom, logo um homem ripostava a dizer que o de chocolate era ainda muito melhor. De salientar um arroz doce muito especial com o logo dos Caminhadeiros desenhado com canela por cima e com a mesma figura desenhada no vidrado da travessa, surpreendeu o pessoal e foi oferecido ao anfitrião pelo casal Tina e Carlos Evangelista, autores da obra.
Uma saudação muito especial à esposa e restante família do Chico Pires, que desta vez também se quiseram associar à nossa festa de final de época.
Seguiu-se a sessão nobre do dia, onde os três Caminhadeiros Mor fizeram um pequeno balanço da época que terminou e do que queremos que seja no futuro.
Como reconhecimento pela disponibilidade mais uma vez prestada pelo Chico Pires no que diz respeito à cedência da sua propriedade para este evento final, foi-lhe entregue um troféu em acrílico com 3 parágrafos da sua notável obra ‘Coisas de Caminhadeiro’.
Ao casal Tina e Carlos Evangelista foi-lhe também entregue um troféu dos Caminhadeiros com a inscrição ‘O Que Caminhei e Não’, servindo assim de homenagem de todo o grupo à edição do livro com o mesmo nome e por eles produzido.
Os 3 caminhadeiros Mor receberam também cada um um troféu pelos 5 anos de dedicação à causa caminhadeira.
Seguiu-se depois a entrega dos bastões de prata e de bronze aos Caminhadeiros que durante a presente época atingiram respectivamente as distâncias de 750 e 250 kms percorridos em caminhadas organizadas pelo grupo. Em primeiro lugar foram entregues os bastões de prata aos Caminhadeiros: António Pires, António Bernardino, Manuel Reis, Gilberto Santos e António Henriques. Os bastões de bronze foram entregues aos Caminhadeiros: Bina Sales, João Duarte, Luísa Gonçalves, Carlos Penedo, Teresa Palma, Nela Costa, Luís Martins e Rogério Matias. O casal Carmen e Octávio Firme receberão estes mesmos troféus na 1ª caminhada da próxima época. De realçar ainda que o Carlos Penedo e a Teresa Palma receberam os seus bastões da mãos dos seus padrinhos Caminhadeiros, Manuel Reis e Maria do Céu.  
Já na parte final da sessão, foi sorteado um quadro da autoria do nosso amigo e caminhadeiro Dores Alves (acrílico sobre tela), que mui generosamente o ofereceu e cuja receita do sorteio reverterá para uma Inst. De solidadiedade Social. O feliz contemplado foi o meu amigo Mário Franco, que pela 1ª vez esteve connosco nestas andanças. Uns diziam que não foi justo, outros mais racionais diziam que a sorte é mesmo assim e mais nada.  
Com o Hino dos Caminhadeiros cantado por todos os presentes, acompanhado pelo grupo de cavaquinhos onde a Irene, o Rui Afonso, o António Henriques  e o principiante Carlos Sales foram exímios executantes, terminou a sessão solene, mas não a festa. O grupo de cavaquinhos continuou a exibir-se e a acompanhar lindíssimas vozes  femininas e masculinas, enquanto que no outro lado  do terreno o nosso amigo Manuel Flôxo iniciava a sua prática notável de bom grelhador de febra e entremeada. Outros comiam caracois e percebes, como que a prepararem-se para assistir ao duelo futebolístico peninsular que  se avizinhava. Os casais Firme e Clemente desde Zagreb e o Manuel Reis desde Lisboa ainda enviaram mensagens de solidariedade e fé para ajudar à vitória de Portugal, mas mesmo assim não chegou. Mas uma coisa vos digo eu, se não acontecesse a derrota imerecidamente perdida por penalties, a esta hora ainda lá estávamos à espera de assistir à final no próximo Domingo. Assim, ausentou-se o último grupo já perto da meia noite, deixando aos manos Pires o silêncio e o conforto da noite alentejana para descontrair.
Saudações caminhadeiras em passada um pouco cansada de final de época,

Fortunato de Sousa

13 comentários:

Maria do Céu disse...

Olá caminhadeiros, os meus parabéns aos organizadores desta caminhada, que como de costume esteve vos trinques. Os cozinheiros, as doceiras, e todos os que generosamente contribuiram para o bem estar do grupo, o meu muito obrigada.
Uma palavra de carinho para os donos da casa pelo trabalham que tiveram com todo este evento.
Para os caminhadeiros , umas boas férias sem descanço para as pernas, toca a andar para quando chegar a nova época não haver ferrugices. Bjs a todos. Céu.

António Dores Alves disse...

Um dia maravilhoso passado com gente maravilhosa. Melhor não podia ser.
Agradecimentos especiais aos organizadores bem como aos donos da casa.
Boas férias para tôdos. Abraços caminhadeiros.

VitGon disse...

Mais um ano passou e mais um dia de excelente convívio com pessoas que se identificam com a causa caminhadeira.
Só faltou a vitória de Portugal para que tudo fosse perfeito.O M. Reis, que já organizou 4 e não 3 caminhadas como por engano referi, é que adivinhou o resultado e saiu a tempo. Seria bom que no próximo ano houvesse uma ainda maior diversidade na organização de caminhadas e visitas.Boas férias para todos e não esquecer que em Setembro recomeçaremos.
Saudações caminhadeiras.

José Clara disse...

Queremos agradecer a todos os organizadores e não só, que nos proporcionaram tão belas caminhadas.Aproveitamos para desejar a todos os caminhadeiros boas férias.Até Setembro.Beijinhos e abraços caminhadeiros. Lurdes e José Clara

Carlos disse...

Olá pesoal caminhadeiro. Finalmente consegui arranjar um tempinho para fazer um comentário, que não prometo que seja curto,porque já há oito dias que andam ideias na minha cabeça que não tenho tido tempo de passar a escrito, porque a vida é mesmo assim, às vezes há inspiração e não há tempo e outras vezes é o contrário. Pois o dia 27/6/12 ficará certamente na história de todos e cada um dos caminhadeiros presentes no monte do Chico. Por muitas e variadas razões. Mostrámos que somos um grupo grande em número e em maturidade. Não começamos a Hora prevista e estava calor ??? Tudo bem. O trajecto não foi o previsto ?? Tudo bem. O cozinheiro fez-nos esperar até às 12h30 para voltar a "casa" ??? Tudo bem. Passámos as passas do Alentejo porque a água era menos do que o calor ??? Tudo ultrapassado. Ou seja, temos um grupo maduro e com capacidade de adapatação para ultrapassar as dificuldades e andar para a frente com boa disposição e espírito de equipa e solidariedade. E depois tivemos todos os motivos para nos alegrarmos e passar um dia (e parte da noite...) memorável mesmo para quem já viveu neste grupo muitos sucessos caminhadeiros. Almoço delicioso num ambiente de convívio magnífico a que o Chico já nos habituou mas que desta vez excedeu todas as expectativas até porque tivemos oportunidade da saudar os familiares do Chico, o que muito alegrou todo o grupo. Altissima qualidade desde o aperitivo da Céu às sobremesas passando pelas bebidas (destaque para o tinto do caminhadeiro João Martins que está de estalo). Depois tivemos os momentos altos -homenagens, sorteios, bastões (um padrinho com 750 km e um afilhado com 250 km, digam lá se há coisa mais bonita num grupo de Caminhadeiros!!!!), polares, cavaquinhos, Hino, e por fim a excelência dos grelhados do Flôxo, para aqueles que como ficaram até ao dia seguinte (agora para mim a seco porque o carro tinha que ir para a Galé e em segurança).
E perguntam vocês -O que é que faltou ??? Eu respondo - Para mim faltou o que eu gostava de ter visto neste dia e não vi. Faltaram Caminhadeiros como o Guerreiro e o Figueredo. Teria sido bonito ver os 7 magníficos juntos neste dia. Faltaram Caminhadeiros como a minha amiga Bia, os casais Firme, Clemente e Ribeiro.É só um exemplo. Faltou a Anabela para caminhar connosco e abrilhantar, como só ela sabe o nosso Hino, como no ano passado. E faltou um momento mais alto na altura da distribuiçao dos troféu aos 3 caminhadeiros mor por ocasião dos 5 anos de dedicação à causa caminhadeira. São muitas horas, muitos dias, muitos meses de trabalho e dedicação para elevar bem alto o nome de Os Caminhadeiros. Acho que a simples distribuição dos troféus e a menção de apenas 2 duas linhas na reportagem, como dia o Sérgio Godinho, certamenta aos 3 caminhadeiros mor "soube-me a pouco". Não é certamente aos 3 que compete enaltecer o trabalho feito ao longo destes 5 anos, mas a nós Caminhadeiros que somos os principais beneficiados de tanto esforço e dedicação. Por isso aqui deixo uma palavra especial, um tributo que é o reconhecimento pelo magnifico trabalho que tem sido feito pelos 3 caminhadeiros mor e que felizmente tem contado com a colaboração de muitos outros caminhadeiros, com a diferença, penso eu, que é que estes 3 estão sempre lá. Em todas.
Magnifico trabalho de tratamento de imagens a que já nos habituaram os nossos fotógrafos com destaque para o filme-apresentação resumo das fotos do ano, e para o trabalho completíssimo dos Dores Alves que nos permitiu perceber que neste dia especial quem não caminha tem muita coisa para fazer.....parabéns a todos que tanto trabalharam para o sucesso deste evento. E para os organizadores eu uso uma frase famosa do Chico. Gostei muito-Quero mais para o ano.
Desculpem lá, mas eu tinha que escrever isto.
Boas férias para todos e Saudações Caminhadeiras em passada de repouso.Haja saúde e que venha o Verão, porra.
Cpenedo

CHICO PIRES disse...

Olá pessoal Caminhadeiro!

Acabei de ler o último comentário a dar entrada,-até agora,- enviado pelo Carlos Penedo, tendo-me chamado a atenção, o oportuno reparo que faz, a propósito da forma algo discreta,como decorreu e foi relatado, o momento da justa homenagem aos 3 caminhadeiros mor.Sei que foi a modéstia a ditar este comportamento, não querendo com isto dizer, que estão desculpados. Até por que, por mera coincidência, aos três foi lembrado atempadamente, que "não é jactância,ter um pouco de autoestima, de sentimento de importância".E se não perceberem o que quero dizer agora, esperem, que não perdem pela demora. Já agora,- embora com sabor a sopas depois do almoço,- quero afirmar em meu nome, e seguramente no de todos os Caminhadeiros, que não só a homenagem foi justa,como consequentemente, merecida.Esperando que dito isto, nos desculpem a displicência,- só aparente,- com que vamos aceitando como dado adquirido, o trabalhão que têm tido, ao longo dos útimos anos. Também sei, pela modesta parte, que de vez em quando me toca, que o financiamento representado pelo prazer de fazer, é, invariavelmente compensador. Sem deixar de reconhecer que os agradecimentos,- embora dispensáveis entre nós,- são na realidade mimos que trocamos com prazer.E quem não gosta de mimos? Assim sendo aqui deixo um mimo para o Balão, para o Gonçalves e para o Luís. E já agora, porque não também para a Tina, o Carlos, e o Dores Alves, pelos seus mimos artísticos, que eu provavelmente não mereço.

Um abraço.
Do Chico

LM disse...

Caros amigos Caminhadeiros,
depois da belíssima e muito inspirada prosa do Carlos Penedo e da não menos brilhante do Chico, só nos resta reiterar tudo o que já foi dito, assinando de cruz. Muitos parabéns e Muito Obrigada aos três mores, aos organizadores das várias caminhadas da época e a todos os que têm contribuído para que este grupinho seja já um Grande GRUPO.
Boas férias e até Setembro, com um belo 'bronze' e óptima saúde.
E viva o (des)acordo ortográfico.
Angelina e Luís

Gil A F Furtado disse...

Pois é! Tudo muito bom, tudo muito bonito, tudo muito agradável... Mas o que eu quero saber é como atravessar ileso este longo deserto sem caminhadas.

Até Setembro, amigas e amigos, companheiros de caminhadas e de belos convívios. Até Setembro, e que o Verão seja leve e fresco e tão agradável como os nossos encontros.

Até Setembro...

Gil Furtado

mreis disse...

Bom, agora já ninguem deve ler isto mas pode ser que saia no proximo livro. Algumas bocas:

. boa Chico cada vez somos mais bem recebidos, qualquer dia a 'nossa' tasca tem que levar mais uma estrela.
. boa caminhadeiros mor pela continuada dinamica de grupo.
. boa Penedo e Sales pelas belas extraordinárias (para o ano sugiro só uma...)
. boa CEF por nos levares ao teatro até porque às vezes temos saltado a parte do chá e cultura.
. boa novos caminhadeiros só faz falta um bocado mais de feedback ao grupo, seja com comentários, com fotos, com organização de caminhadas, etc.
. boa fotógrafos que completam a reportagem e dão arte ao blog, com realce para o Luis e pena por o Gil não estar a dar luta.
. boa para todas as outras coisas boas que não referi.

E como diz a Céu não enferrugem nas férias, até setembro!

PS- Vitor, não foram 3, nem foram 4, foram 5, uma por época e já agora não era má ideia fazer uma lista de quantas caminhadas organizou cada caminhadeiro, pode servir de desafio aos que ainda não se abalançaram.

CHICO PIRES disse...

Olá pessoal! Olá Manel! Olá Gil!

Com que então já ninguém ia ler "isto"? Pois enganaste-te. Embora confesse que cheguei aqui com o intuito de escrever, e não de reler, os comentários já feitos, muito embora, faze-lo, possa ser uma forma tão boa como outra qualquer,de ajudar a "atravessar ileso este longo deserto sem caminhadas".Não é Gil?
Mas a minha intenção era dizer, que estive este fim de semana, de Sexta a Domingo em Lavre, com familiares, o que, a propósito, serve às mil maravilhas o propósito,- que se lixe a redundância,- de amenizar a travessia do deserto.Claro Gil, claro que sei que concordas! E entre sardinhas, carapaus, peixe espada,febras, entremeada e entrecosto, jorraram cervejolas frequinhas e gostosas. Só que, em determinada altura de que me havia de lembrar? Que um tintinho vinha mesmo a calhar.E assim de repente onde o iria arranjar? Ali, mesmo ao lado, à garrafeira dos esquecimentos nada desastrosos, dos Caminhadeiros. E não é que parava por lá um Douro Tinto, batizado de Azinhaga de Ouro, de 2004, verdadeiro achado,que fez as minhas delícias e do meu cunhado.Alguém alvitrou, que as mudanças de temperatura a que ali se sujeitou, o apurou. Por isso disponham, e coloquem as vossas pingas no mesmo local para beneficiarem do mesmo tratamento.Como serviço compensatório, depois de as provar e beber, apresentar-lhes-ei um relatório.

Um abraço.
Do Chico

Carlos Sales disse...

Olá, GENTE CAMINHADEIRA, estou aqui, apenas, para garantir que não se irá perder esta minha nota. Vou fazer a minha comunicação nos comentários no esppaço à frente.
Carlos Sales

Carlos Sales disse...

Olá, GENTE CAMINHADEIRA, estou aqui, apenas, para garantir que não se irá perder esta minha nota. Vou fazer a minha comunicação nos comentários no esppaço à frente.
Carlos Sales

LM disse...

Depois de dois avisos espero que não te esqueças porque eu ainda não vi nada. Um abraço e bom regresso.
Luis Martins