domingo, 21 de abril de 2013

15ª Caminhada - Época 2012 / 2013 - Trilhos do Lousal - Dia 17 de Abril




Álbuns de Fotos:
Dores Alves
Carlos Evangelista
Margarida Oliveira
Luis Martins
Fortunato de Sousa
Data do Encontro: 17/04/2013
Local: Minas do Lousal (Azinheira de Barros)
Percurso: 12, 000 kms; 03: 00 Horas
Caminhantes: (46) Angelina Martins; António Clemente; António Palma; Carlos Evangelista; Carlos Penedo; Carlos Nunes; Carmen Firme; Dores Alves; Estela Garcia; Fátima Libânio; Fernando Bernardino; Fortunato Sousa; Gil Furtado; Gilberto Santos; Graça Penedo; Graça Sena; Greta Statter; Guilherme Statter; Irene Afonso; João Costa; João Duarte; José da Clara; Leonor Neto; Lina Fernandes; Lúcio Libânio; Luís Fernandes; Luís Martins; Luís Penedo; Luísa Clemente; Luísa Gonçalves; Lurdes Clara; Manuel Flôxo; Manuel Garcia; Manuel Pedro; Maria do Céu; Manuel Reis; Miguel Cardoso; Nela Costa; Octávio Firme; Odete Vicente; Pedro Albuquerque; Rogério Matias; Rui Afonso; Teresa Palma Duarte; Virgílio Vargas; Victor Gonçalves;
Não Caminhante: (2) Jorge Veiga; Victor Neto
Organizador: Carlos Penedo
Almoço: Restaurante ‘Armazém Central’ (Tel: 269.508.400)
Próxima Caminhada: 01/05/2013 – (Fortunato de Sousa, Luís Fernandes e Victor Gonçalves)
Reportagem:
Para recuperar do forte desgaste sofrido poucos dias antes na subida do Vale de Loriga, nada melhor que uma caminhada na planície alentejana. E no Alentejo, o experiente Caminhadeiro Carlos Penedo, escolheu os terrenos circundantes ao desactivado complexo mineiro do Lousal, para percorrermos mais 2 que os aproximadamente 10 kms previamente anunciados. Diremos em defesa do organizador, que o nosso amigo Carlos se esqueceu de acrescentar o IVA (ai se o Gaspar sabe disto !!!) à distância do percurso.
Idêntica distância, foi percorrida no mesmo local por 16 Caminhadeiros, no dia 4 de Novembro de 2009, para cumprirmos nessa data a 5ª caminhada da época organizada pelo Caminhadeiro Mor Victor Gonçalves, e o ex mineiro de seu nome Manuel João foi o guia que teve a paciência de nos aturar durante as mais de 2 horas de caminhada. Como curiosidade, aconselho uma visita à reportagem da dita caminhada, onde terão oportunidade de confirmar a evolução que o grupo Caminhadeiro teve até aos dias de hoje.
Desta vez, uma equipa de 5 monitores, todos eles jovens e muito bem preparados para as funções que desempenham, acompanhou-nos desde a chegada ao Lousal até ao final do programa da 15ª caminhada da época. Começámos por assistir a um curto filme sobre o percurso a percorrer e das paragens com interesse histórico associadas. A seguir, 44 Caminhadeiros deram início à caminhada, já com o calor do Sol alentejano a fazer-se sentir e a prometer deixar marcas aos que menos preparados estivessem para o enfrentar. Talvez por esta ou outras razões, o Jorge Veiga e o Victor Neto preferiram ficar à sombra no Lousal. Não foi esta a opção da Leonor Neto, pois embora sendo esta a sua 1ª participação, ousou destemidamente enfrentar todas as adversidades que o calor do Alentejo lhe pudesse causar. Portanto, para a estreante Caminhadeira Leonor, os nossos parabéns e o desejo de a vermos mais vezes a caminhar connosco.
Durante as 3 horas de caminhada, muitas coisas aconteceram e algumas delas não podemos deixar de mencionar. Talvez a mais marcante, tenha sido o momento em que todos cantámos a célebre 'Grândola Vila Morena', canção que o saudoso Zeca Afonso imortalizou, e na madrugada do dia 25 de Abril de 1974, foi utilizada como segunda senha, para uma viragem muito importante da nossa história. Esta cantiga entoada em plena planície a altas vozes, debaixo de uma azinheira que já não sabia a idade, por todos os Caminhadeiros presentes, foi por certo um dos pontos altos do dia caminhadeiro. Outras peripécias, como aquela interpretada pelo Victor Gonçalves, ao querer molhar a Graça Sena com água do balde em cima do bordo do poço, também merece destaque, pois para além de ensopar de lama a desgraçada da Graça, também ele ficou com o seu pólo de cor branca todo ensopado de matéria negra. De realçar ainda a fotografia tirada aos 8 Caminhadeiros septuagenários, por sugestão do Gil Furtado que também é um deles. A soma de idades destes jovens anda perto dos 600 anos. É obra meus senhores, e significa, que quando o espírito é jovem, não há idade que lhe resista.
Depois seguiu-se o almoço no Armazém Central. Espaço amplo e bem decorado, com serviço de mesa e de cozinha muito bons. As modas e cantares alentejanos interpretados por um mini grupo de antigos mineiros ajudou a compor todo o cenário de um almoço típico do Alentejo.
Mais uma vez a generosidade do pessoal Caminhadeiro esteve em evidência, através da oferta de uns deliciosos doces caseiros embalados em frascos com etiquetagem caminhadeira. A Luísa Clemente e o Octávio Firme, de cestos de verga enfiados no braço, fizeram a distribuição de mesa em mesa em representação da Carmen e do António José.
O tradicional chá de final do dia, teve desta vez a componente adicional de comemoração de festas de aniversário e de anos de casados. Foram então cantados os parabéns aos aniversariantes Luís Martins, Manuel Garcia e Luísa Clemente, e aos casais Irene e Rui e Nela e João Costa.
Propositadamente, deixei para o final a parte que me compete como repórter, mencionar a participação dos 5 monitores que nos acompanharam durante esta nossa interessante visita ao desactivado complexo mineiro do Lousal. Como no início mencionei, é gente jovem mas muito bem preparada para as funções que desempenham. As intervenções nas várias paragens dos pontos de interesse histórico durante a caminhada, e depois na parte final, na visita ao ‘Centro de Ciência Viva’, foi de muita qualidade. A capacidade de comunicação e a fluidez com que o fazem, deixam uma óptima imagem aos visitantes que como nós tiveram a oportunidade de com eles conviver e saborear mais uma interessante experiência Caminhadeira. Portanto, para a Carla Malha, para a Margarida Oliveira, para a Tânia Ferreira, para o Miguel Ferreira e para o Nuno Inácio os nossos cumprimentos, com os desejos de que para eles a nossa visita também lhes  tenha sido agradável.

Saudações Caminhadeiras,

Fortunato de Sousa

P.S. – Como curiosidade e por informação recebida do meu amigo Caminhadeiro Miguel Cardoso, um órgão de comunicação social divulgou na passada Sexta-Feira o seguinte:
O projecto de reabilitação da aldeia mineira do Lousal, valeu à C. M. de Grândola o ‘Prémio Geoconservação 2013’, atribuído pelo grupo português da Associação Europeia para a Conservação do Património Geológico (ProGEO).




9 comentários:

LM disse...

Bom... desta vez espero arrancar com alguns comentários que esta bela caminhada merece. Ou pelo tempo... ou pela gastronomia... ou pela paisagem... ou, sobretudo, pela presença do sol, tão desejado e que tão arredio estava (se bem que não nos possamos queixar em demasia), ou pela parte cultural que foi, quanto a mim, bastante boa e que deixou em aberto uma grande hipótese relacionada com a 'Associação' 'Ciência Viva'. Se bem nos lembramos a visita ao Laboratório de Paleontologia e Paleoecologia da Sociedade de História Natural, no Ameal, Torres Vedras, também faz parte deste grupo da 'Ciência Viva'. Segundo nos disse uma das simpáticas e competentes monitoras do Lousal são já dezanove (19) as entidades aderentes a esta Associação. Que tal se se tentasse saber quais são as outras e onde se situam e se procurasse aproveitar dos serviços que elas oferecem em proveito do nosso grupo? Aproveito para dar as nossas felicitações por mais uma belissimamente bem organizada caminhada e registar a presença dos nossos amigos do norte que são, sempre, uma mais valia para todos nós.
Saudações caminhadeiras.
Angelina e LM

LM disse...

Na continuação do comentário anterior aqui ficam, além do Lousal e do Ameal, mais doze (12) Centros de Ciência Viva:
- Parque de Astronomia de Constância
- Planetário do Porto
- Rómulo de Carvalho - Coimbra
- Lagos
- Alviela
- Proença-a-Nova
- Pavilhão do Conhecimento
- Coimbra - Explorat.Inf.D.Henrique
- Algarve
- Visionarium
- Açores - Expolab
Abraços
LM

Miguel Cardoso disse...


Boa tarde Caminhadeiros(as),

pela descrição tão detalhada e elucidativa do n/ cronista-mor, Fortunato de Sousa, pouco me resta acrescentar à reportagem da magnífica jornada em causa.
No entanto e através da leitura da reportagem relativa à caminhada de 4 de Novembro de 2009, realizada no mesmo local, fiquei com a idéia de que haveria também mais áreas a visitar, sobretudo as relcionadas com o equipamento utilizado durante a actividade mineira.
Tal lacuna, certamente se ficou a dever ao programa (actividades/tempo), estabelecido para esta jornada.
Apresento os meus parabéns ao organizador Carlos Penedo, aos aniversariantes homenageados durante o tradicional chá, e aos reporteres fotográficos pelas belas imagens recolhidas.

Saudações Caminhadeiras e até à próxima.

*escrito de acordo com a antiga ortografia

Miguel Cardoso

mreis disse...

Tanto gabaram o S.Pedro que ele exagerou e lá teve que ir o carro vassoura (de luxo!) buscar uns caminhadeiros demasiado encalorados(atenção à hora de início das proximas caminhadas)...
Portanto não convém gabar demasiado o organizador, mas sim senhor, esteve à altura da qualidade a que nos habituou e está tudo dito.
A parte cultural desta vez teve peso e ficamos a saber mais um bocado sobre antas e dolmens, só estou à espera do Gil nos vir lembrar que não há verdades sagradas como o Luis Martins nos mostra através de fotos oportunas (a visita foi tão breve que nem reparei nos cartazes).
O merecido prémio que o projecto do Lousal acaba de receber fez-me relembrar o belo documentário sobre as fumarolas dos Açores e deixo ainda aqui o meu apreço pela sapiência, simpatia e comunicabilidade das/dos guias que nos acompanharam.
E aquele chá de poejos estava uma delícia!
abraços caminhadeiros
mreis

octavio disse...

Mais uma excelente caminhada e uma organização impecável!
O S. Pedro ,desta vez, fez-nos a partida e brindou-nos com um dia de verão no Alentejo. O Carlos Penedo estava preocupado - e com razão - com o atraso na partida, o que fez com que a caminhada se prolongasse até horas não aconselháveis com um clima semelhante. Foi, talvez, o único senão a apontar aos monitores que no resto estiveram muito bem.
Saliente-se o número record de presenças numa caminhada ordinária. Isto prova a qualidade que temos vindo a manter, mas, por outro lado,torna a organização cada vez mais dificil, no que diz respeito à logística. Um problema a ter em conta no futuro...
Até à próxima, amigos, desta vez sem o calor do Alentejo
Octávio

Margarida disse...

Olá a todos,

Muito obrigada mais uma vez pela vossa presença no Lousal.

Foi um prazer receber e acompanhar-vos durante todo o dia!

Também eu aprendi imenso com vocês, afinal a aprendizagem é um processo contínuo e mútuo.

O calor foi nosso inimigo naquele dia, mas lanço um novo convite para fazerem mais percursos pedestres connosco, por terras alentejanas, porque esta antiga aldeia mineira encerra saberes muito valiosos.

"O Lousal a Céu Aberto" é um outro percurso com cerca de 2,5km onde exploramos os contextos geomineiros. Abordamos a geologia, a arqueologia industrial, a componente de recuperação ambiental, a história, etc. E desta vez começamos mais cedo, é só dizerem a hora!

Obrigada pelos elogios que nos fizeram, pois gostamos imenso do que fazemos!

Em nome da equipa,

Cumprimentos a todos.

P.S. Li os vossos comentários e deixem-me só retificar uma questão. O Laboratório de Paleontologia e Paleoecologia da Sociedade de História Natural em Torres Vedras não pertence à Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica (rede nacional dos Centros Ciência Viva). Este laboratório faz investigação, divulga e tem uma forte componente pedagógica no que toca à Paleontologia. As minhas saudações paleontológicas ao Bruno Camilo Silva ( já tive a oportunidade de trabalhar com ele).
Um último apontamento, vai de encontro à vontade de algumas pessoas em visitarem mais centros da rede ciência viva que, efectivamente, já conta com 19 no país inteiro (com um na Madeira - Porto Moniz). Aqui vai o link onde podem consultar todos.
http://www.cienciaviva.pt/centroscv/

Até breve,
Margarida Oliveira

LM disse...

Obrigado, Margarida, pela correcção.
Cumprimentos.
LM

Miguel Cardoso disse...


Olá Caminhadeiros mais uma vez,

não queria deixar de agradecer à micro-empresa "Clemente & Firme Desde Sempre" pela amável oferta com que nos brindou durante o almoço, com o doce caseiro "Lemon Curd", o qual está uma verdadeira especialidade.
É de facto uma empresa a ter em conta no futuro.

*escrito de acordo com a antiga ortografia

Saudações Caminhadeiras,
Miguel Cardoso

CEF disse...

Penedos muitos existem e, até famosos, mas o nosso é Penedo de apelido e de nome Carlos, não ficando em nada atrás dos demais. Surpresa em surpresa com êxito firmado nos tem brindado com as suas propostas, Quem se pode esquecer da Lampreia, dos Moinhos, da maravilha Viana do Castelo /Ponte de Lima e das Noturnas, bem assessurado por vezes pelos seus sobrinhos Irene e Afonso.
Com a dinânica equipa do “ Centro de Ciência Viva” ficámos mais ricos, que bom vos ter tido por perto, pois a arte de chegar e prender ouvidos e olhar não está ao alcance de todos,quando se quer passar uma mensagem, e chegaram muito bem. Parabéns.
Tendo como companhia ao longo da caminhada a Tânia e, no troca conversa de caminhadeiro e geóloga descobrimos ter algo em comum, Nem geólogo nem Caminhadeiro se dilui à chuva, é que já fomos abençoados com muita e cada vez somos mais.
Se o Sol de manhã nos tinha castigado um pouco durante a caminhada, nos abençuou com um fim de tarde raiado de um calor ternurento acompanhado de um acende e apaga de velas, tal era o rol de aniversariantes.
Foi daqueles dias que o regresso a casa estava mesmo dificil de fazer, pois aquele alpendre qual SPA ajudava a resolver a labuta travada com a refeição que nos foi apresentada, prendendo quem se queria fazer à estrada para não perder mais um dedo de conversa com os que estavam colados à mesa.
Por fim vamos Palma, que se faz tarde, tem de ser.
Dia Bom este aqui no Lousal. Parabéns Carlos Penedo
C. Evangelista