quinta-feira, 21 de maio de 2009

15ª Caminhada 2008/2009 - Palmela . Serra do Louro - 20 de Maio



Data da Caminhada: 20/05/2009
Local: Palmela – Serra do Louro
Percurso: 11 Kms / 02:15 Horas
Caminhantes: António Bernardino; António Pires; Chico Pires; Fortunato de Sousa; Guerreiro; Gil Furtado; Gilberto Santos; Luís Fernandes; João Costa; Manuel Pedro; Maria da Conceição Pedro; Manuel Reis; Vitor Gonçalves.
Organizador: Fernando Guerreiro
Almoço: Cantinho do Mata (Palmela – Tel. 21.233.1564) Preço: € 20,00
Próxima Caminhada: 01/06/2009 (Organiza o Manuel Pedro)
Fundo de Reserva: € 400,00
Reportagem:
Alguns Caminhadeiros chegaram a temer que o nosso amigo Guerreiro, pioneiro destas jornadas caminhadeiras e grande mestre na arte de bem caminhar todo o terreno, tivesse abandonado o grupo sem dar justificação ao pessoal. Depois de muitos argumentos por ele apresentados para justificar as faltas (diga-se que alguns deles muito esfarrapados), só uma minoria acreditava que o Fernando ainda podia voltar ao grupo. Pois voltou e em grande forma. Desde o percurso escolhido para a caminhada, local de almoço e visita cultural, tudo foi um sucesso.
Depois da desgastante caminhada de Nisa, nada melhor que um percurso com indice de dificuldade baixo para equilibrar o esforço dos caminhantes. O Gil Furtado, que no Arneiro tinha ameaçado comparecer apenas às segundas e terceiras componentes do dia até final da época, desta vez não só cumpriu na totalidade o percurso, como prometeu estar presente na próxima jornada caminhante a realizar em plena Serra da Estrela. Tavez tenham sido os efeitos do novo bastão e chapéu à ‘Borsalino’ que ontem estreou.
O almoço no 'Cantinho do Mata' em Palmela, já conhecido da maioria de nós pelas melhores razões, primou novamente pela excelente qualidade do peixe. Aqui e até ao final do dia, tivemos a grata companhia do nosso velho amigo Orlando Martinho. Antes de iniciar a componente caminhante, quis ele ver se valia a pena o que o grupo tinha para oferecer nas outras actividades, do seu ponto de vista mais apelativas. Parece que não saíu desiludido.
A visita ao ‘Museu do Vinho José Maria da Fonseca’ em Vila Nogueira de Azeitão valeu a pena. Para além de outras coisas muito interessantes acerca desta actividade vinícola, ficamos a saber que nesta adega se produziu um moscatel muito especial que dá pelo nome de ‘Torna Viagem’. Assim chamado, porque por alturas das trocas comerciais com o Brasil no século XIX, a firma JMF enviava pipas de moscatel a bordo das embarcações para lá serem vendidas. Dada a pouca vocação do povo brasileiro para consumir este produto, a maioria das pipas 'tornava' à origem também de barco. Quando os especialistas da adega o iam provar, para ver se depois de tantos trambulhões ainda estava bebível, qual o seu espanto ao constatarem que tinha evoluído muito mais em qualidade, quando comparado com o da mesma colheita que cá tinha ficado em repouso. Foi deste modo científico, que mais uma vez os portugueses deram não novos mundos ao mundo, mas sim novos vinhos ao vinho.
Com o chá da praxe acompanhado de tortas de Azeitão terminou mais uma caminhada do grupo ‘Os Caminhadeiros’.
Cumprimentos,

Fortunato de Sousa

1 comentário:

Anónimo disse...

Can I link to your post? easy scholarships